sábado, 29 de outubro de 2011

Falando de amor para o “Homem da minha vida”.


Oi meus queridos,

Peço licença para me dirigir a alguém muito especial na postagem de hoje: O homem da minha vida!
Quando eu tinha 10 anos de idade, meu pai me levou ao Teatro Municipal de São Paulo para assistir a um “concerto para a Juventude”. O espetáculo trazia peças populares, como uma área de Villa Lobos, o Trenzinho do Caipira.
O impressionante era o REGENTE Maestro Leonardo Bruno.  Ele não era alto, nem lindo, nem pitoresco. Ele era a personificação do FAZER MÚSICA.
A Orquestra regida por ele tinha tal sincronia, tal homogeneidade, tal clareza de tons, sons, timbres e magia, que eu, aos 10 anos de idade, decidi: quando eu tiver um filho, ele se chamará Leonardo Bruno e será tão especial quanto este mestre-maestro!
Tive meu filho em Curitiba, aos 26 anos de idade. Me lembro que a única coisa que perguntei ao obstetra Antenor Geomedes, que fez minha cesariana foi: É o Leonardo Bruno?
Quando obtive a resposta positiva, entrei em choque anafilático.
Não creio que alguém possa sentir alegria maior do que ser mãe. Deus me abençoou por duas vezes com esta felicidade!
O Léo, meu sonho desde menina, cresceu sem vícios, jamais se envolveu com bebedeiras, drogas, vandalismos, fanfarrices. Nunca fui buscar meu filho numa delegacia, graças a Deus! Em compensação perdi a conta das contusões nos jogos de futebol (vício confessado).
Bom aluno, “quase” formado químico industrial pela Federal do Ceará (falta a monografia, deixada em espera, graças ao fato de hoje ser policial concursado da PM do Ceará), jamais me deu trabalho enquanto aluno. Sempre cumpriu com seus deveres escolares de maneira responsável.
Ainda sonho vê-lo formado, porém, estou aprendendo a respeitar suas escolhas.
Como policial é querido e respeitado por colegas e chefes. Apaixonado pelo que faz, vive do salário que ganha, tem inúmeras menções elogiosas por conduzir-se de maneira correta e ilibada. Já fez todo o tipo de ações positivas dentro da polícia. Até parto já auxiliou!
Amigo dos amigos desde pequeno convive com muitos a mais de uma década e mantém com os mesmos, carinho de irmão. Léo é amado por muita gente, e por merecimento!
Comigo tem muitas divergências. Em muitas coisas pensamos e agimos diferente.
Ele odeia cigarro. Eu fumo. Ele não suporta álcool. Eu sou louca por uma cervejinha. Ele é São Paulo. Eu, Corinthians. Eu sou Mangueira. Ele, Beija-Flor.
Porém, nada disso diminui um grama, um milímetro, uma poeirinha do nosso lindo e imenso amor.
Tenho muito orgulho do meu filho. E uma saudade que dói fisicamente. Tem dias que a falta que ele me faz é tão grande, que me pego chorando por não poder abraçá-lo.
Minha esperança é ficar boa logo, para estar mais perto dele, o mais depressa que Deus me permitir!
Meu herói particular veio iluminar minha vida nos primeiros minutos de um 29 de outubro, lá em Curitiba, Paraná.
Hoje, está fazendo 32 anos que agradeço a Deus esse lindo presente.  E dizendo a cada um que me visita neste espaço: Hoje é o aniversário do homem mais importante da minha vida, só comparável ao meu pai, que também era louco por ele!


Para você meu filho, todo meu amor, carinho, respeito, admiração e um humilde pedido de perdão se nem sempre fui ou sou a mãe que você esperava. Te amo muito, querido.

Com toda a força deste hoje nem tão saudável coração.
Espero que Deus, na sua justiça e misericórdia, te abençoe, guarde, proteja e ilumine, abra todos os seus caminhos e lhe ajude a realizar cada sonho seu.
Seja muito, muito feliz, meu adorado. Que seu dia tenha muitas flores, abraços, beijos, bolo de chocolate e a certeza de que mesmo longe, você passará todo o tempo fazendo festa no meu coração.
E só para que você não esqueça, meu Léo Bruno: EU AMO VOCÊ, COM TODA A FORÇA E FÉ DA MINHA ALMA!!!
Feliz aniversário, meu filho. Deus te abençoe.
Milhões de beijos.
Mamãe.

2 comentários:

Célia disse...

Que lindo! Tania! Seu filhão, na certa é muito feliz por ter a mãe que tem e sente orgulho de você! Uma declaração de amor materno desse quilate, não são todas as mães que podem depois de trinta e poucos anos... Felicidades e bênçãos à mãe e ao filho muito querido! Beijos da Célia.

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Que linda homenagem ao seu filho, até arrepiou! Fiquei igualmente sensibilizada com o seu comentário no meu blog, especialmente vindo de alguém que escreve maravilhosamente! Bjs