sábado, 1 de novembro de 2014

"... mas, me desculpe, me perdoe mesmo: eu me esqueci de te esquecer."


Oi meus queridos,

Sei que não é o habitual eu ficar tanto tempo sem dar notícias, mas eu não esqueci de vocês. A verdade é que têm acontecido muitas coisas ao mesmo tempo, e em função disso, tem sido difícil manter as postagens. Não se preocupem, pois não desisti do “Tô com Aquilo” e em breve estarei de volta com todas as novidades boas ou nem tanto.
No mais, sabemos que tudo continua na mesma, as mesmas caras, o mesmo dilema, a mesma labuta, a mesma esperança por dias melhores.
Não esqueçam que o Outubro Rosa já passou, mas todo o tempo é momento de prevenção, e de cuidar da saúde física, mental e espiritual.
Logo, logo eu volto pra gente prosear!


Mil beijos,
Tania Pinheiro.

                                                                                                                                



domingo, 14 de setembro de 2014

Tô viva!!!


Oi meus queridos,

O motivo do silêncio prolongado é muito bom: Aluguei uma casa nova, lindinha, num lugarzinho “massa”, em que fomos acolhidas (Tainá e eu) como gente da família.
Acordamos com o canto dos passarinhos e de um casal de garnisés, que dividem espaço com as plantas, flores e paz, a alegria de um novo dia. Livre do mofo, do barulho da Av. Escola Politécnica, de ter que lidar com pessoas que me faziam mal, voltei a sorrir. Porém, não consegui ainda instalar a internet em casa. Infelizmente, nem tudo é perfeito. Mas essa situação é temporária, e logo, logo, estarei escrevendo minhas maluquices, bobagens, críticas, saudades.
Perdoem não ter escrito antes, com a mudança e mais uma porção de coisas que estão acontecendo, ficarei ausente mais um bocadinho de tempo, mas eu volto. Me aguardem...
Por agora, muuuitas saudades!

Mil beijos,

Tania Pinheiro.

Errata!


Oi meus queridos,

Há algum tempo atrás, postei aqui no Tô com Aquilo, um texto com o título “Velhice Feminina”, recebi por email, e por gostar muito, compartilhei-o com vocês. Recentemente, a autora entrou em contato comigo, aqui pelo blog, corrigindo-me sobre o título e algumas alterações que foram feitas no texto original. Sinceramente, peço humildes desculpas, porém, como recebi o texto de uma outra pessoa, que também o recebeu encaminhado por outro amigo, e gostei muito do que li, achei que valia a pena postá-lo aqui, não tinha conhecimento de que o texto estava alterado e de que o seu autor não era anônimo, como foi mencionado. Novamente me desculpo com a autora Ivone Boechat, do texto original “Para quem tem mais de 65 anos”, que segue abaixo para os queridos leitores do Tô com Aquilo.
Essa é a democracia da internet que nos permite aprender um pouco mais a cada dia. Obrigada Ivone por ter entrado em contato, e nos presentear com o seu belo texto.


Para quem tem mais de 65 anos
Por: Ivone Boechat


1 - Tome posse da maturidade. A longevidade é uma bênção! Comemore! Ser maduro é um privilégio; é a última etapa da sua vida e se você acha que não soube viver as outras, não perca tempo, viva muito bem esta. Não fique falando toda hora: “estou velho”. Velho é coisa enguiçada. “Idade não é pretexto para ninguém ficar velho”. Engane a você mesmo sobre a sua idade, porque os psicólogos dizem que se vive de acordo com a idade declarada!

2 - Perdoe a você antes de perdoar os outros. Se você falhou, pediu perdão? Deus já o perdoou e não se lembra mais. Mas você fica remoendo o passado... Não se importe com o julgamento dos outros. Só há dois times no Universo: o do Salvador e o do acusador. Neste último você sabe quem é goleiro. Continue no time do Salvador.

3 - Viva com inteligência todo o seu tempo. Viva a sua vida, não a do seu marido, dos filhos, dos netos, dos parentes, dos vizinhos... Nem viva só pra eles, viva pra você também. Isto se chama amor próprio, aquilo que você sacrificou sempre! Nunca viva em função dos outros. Faça o seu projeto de vida!

4 - Coma muito menos; durma o suficiente; não fique o dia inteiro, dormindo, dando desculpa de velhice. Tenha disciplina. Fale com muita sabedoria. Discipline sua voz: nem metálica; nem baixinha; seja agradável!

5 - Poupe seus familiares e amigos das memórias do passado. Valorize o que foi bom. Experiências caóticas, traumas, fobias, neuroses, devem ser tratadas com o psicoterapeuta. Não transforme poltrona em divã, ouvido em descarga.

6 - Não aborreça ninguém com o relatório das suas viagens. Elas são interessantes só pra quem viaja. Ninguém aguenta ouvir os relatórios e ver fotografias horas e horas. Comente apenas o destino e a duração da viagem, se alguém perguntar. Aprenda a fazer uma síntese de tudo, a não ser que seus amigos peçam mais detalhes. Se alguém perguntar mais alguma coisa, seja breve.

7 - Escolha bons médicos. Não se automedique. Não há nada mais irritante do que um idoso metido a receitar remédio pra tudo o que o outro sente. Faça uma faxina na sua farmácia doméstica.

8 - Não arrisque cirurgias plásticas rejuvenescedoras. Elas têm prazo curto de duração. A chance de você ficar mais feio é altíssima e a de ficar mais jovem é fugaz. Faça exercícios faciais. Socorra os músculos da sua face. Tome no mínimo oito copos de água por dia e o sol da manhã é indispensável. O crime não compensa, mas o creme compensa!

9 - Use seu dinheiro com critério. Gaste em coisas importantes e evite economizar tanto com você. Tudo o que se economizar com você será para quem? No dia em que você morrer, vai ser uma feira de Caruaru na sua casa. Vão carregar tudo. Não darão valor a nada daquilo que você valorizou tanto: enfeites, penduricalhos, livros antigos, roupas usadas, bijuterias cafonas, ouro velho... prataria preta, troféus encardidos, placas de homenagens. Por que não doar as roupas, abrir um brechó ou vender todas as suas bugigangas, apurar um bom dinheiro e viajar?

10 - A maturidade não lhe dá o direito de ser mal educado. Nada de encher o prato na casa dos outros ou no self-service (com os outros pagando), falar de boca cheia, ou palitar os dentes na mesa de refeições (insuportável).

11 - Só masque chiclete sem testemunhas. Não corra o risco de acharem que você já está ruminando ou falando sozinha.

12 - Aposentadoria não significa ociosidade. Você deve arranjar alguma ocupação interessante e que lhe dê prazer. Trabalhar traz muitas vantagens para a saúde mental, além do dinheiro extra para gastar, também com você.

13 - Cuidado com a nostalgia e o otimismo. Pessoas amargas e tristes são chatíssimas, as alegres demais, também. Elogie os amigos, não fique exigindo explicações de tudo. Amigo é amigo.

14 - Leia. Ainda há tempo para gostar de aprender. A maturidade pode lhe trazer sabedoria. Coloque-se no grupo sempre pronto para aprender. Não se apresente em lugar nenhum dizendo: sou muito experiente!

15 - Não acredite nas pessoas que dizem que não tem nada demais o idoso usar roupas de jovens, cuidado. Vista-se bem, mas com discrição. Cuidado com a maquiagem, se for pesada, você vai ficar horrível.

16 - Seja avó do seus netos, não a mãe nem a babá. Por isso nem pense em educá-los ou comprometer todo o seu tempo com as tarefas chatas de ir buscar na escola, levar a festinhas, natação, inglês, vôlei... Só nas emergências. Cuidado com aquela disponibilidade que torna os outros irresponsáveis.

17 - Se alguém perguntar como vão seus netos, não precisa contar tuudo! Evite discorrer sobre a beleza rara e a inteligência excepcional deles. Cuidado com a idolatria de neto e o abandono dos filhos casados...

18 - Não seja uma sogra chata. Nunca peça relatório de nada. Seu filho tem a família dele. Você agora é parente! Nunca, nunca, nunca mesmo, visite seus filhos sem que seja convidado. Se o filho ligar pra você, não diga: ah! lembrou finalmente da sua mãe? É melhor dizer: Deus o abençoe meu filho.

19 - Cuidado em atender ao telefone: se a pessoa perguntar como você vai e você responder “estou levando a vida como Deus quer”; “a vida é dura”; “estou preparando a partida”; “estou vencendo a dureza”; você vai ver que as ligações dos amigos e dos parentes vão rarear, cada vez mais.

20 - A maturidade é o auge da vida, porque você tem idade, juízo, experiência, tempo e capacidade para se relacionar melhor com as pessoas. Então delete do seu computador mental o vírus da inveja, do orgulho, da vaidade, promiscuidades, cobranças, coisas pequenas e frustrantes para tomar posse de tudo o que você sempre sonhou: a felicidade.

Ivone Boechat

fonte: http://www.paralerepensar.com.br/paralerepensar/texto.php?id_publicacao=32923

sábado, 9 de agosto de 2014

O casal de mafagafos e seus dez mafagafinhos...


Oi meus queridos,

Como é de conhecimento geral, mafagafos nascem em ninhadas, como pintos, por exemplo. Vou lhes contar sobre um casal de mafagafos e seus dez mafagafinhos.
Por serem todos muito parecidos, somente a mãe (sempre ela) distinguia-os, por mínimas peculiaridades físicas, em compensação, todos os outros habitantes da mata onde viviam sabiam dizer exatamente quem era quem, pelo modo de ser e agir.
Amoroso era um mafagafinho feliz, sorridente, que a todos tratava com respeito e cortesia. Bom filho, bom irmão, bom amigo “volta e meia” chegava em casa com um agrado recebido de alguém a quem ele ajudara, sem sequer pensar em pagamento, era doce como mel!
O irmão, Invejoso, sempre ranzinza e taciturno, morria de raiva, dizia que Amoroso era falso e “puxa saco”, e que ele, Invejoso, era um incompreendido que não tinha amigos, etc... etc...
O terceiro, Vaidoso, era um tipo singular: tudo o que fosse dele, ou a ele se referisse, era melhor, mais bonito, mais valioso. Achava que nada “apagava” sua beleza e carisma, do branco ao preto, do amarelo ao azul, tudo lhe caía bem, deixando-o ainda mais vaidoso!
Coitadinho era franzino, falava baixo, vivia pelos cantos, não ria, não brincava, adorava causar piedade e, por não ter autoestima mostrava com facilidade, e até um certo prazer, o seu coitadismo.
Egoísta era insuportável! Não sabia dividir ou compartilhar, pensava que o mundo e tudo o que estivesse nele era propriedade sua, criado para seu prazer e conforto. Era incapaz de doar, fosse o que fosse, mesmo se quebrado, velho ou indigno de seu interesse, tinha uma enorme caixa de entulhos, em que ninguém podia tocar.
Altruísta, como já dizia seu nome, vivia para ajudar aos outros. Se um vizinho, parente, até mesmo um desconhecido, precisasse de ajuda, lá estava ele sorridente e cheio de boa vontade. Preocupava-se com a natureza e com tudo o que nela vive, inventava campanhas para preservar, proteger e melhorar a vida de todos!
O sétimo filho, Ardiloso, tinha o dom de mentir, enganar, envolver em “maracutaias” os menos espertos, criar situações obtusas, nas quais só ele levava vantagem. Não ficou muito tempo com a família, graças a “bons contatos” mudou-se para Brasília, onde foi viver a vida que julgava merecer. Em pouco tempo tornou-se um grande político, que fez fama e fortuna em prazo recorde.
Laborioso, um mafagafo forte, inteligente, responsável e um pouco sonhador, trabalhava duro para ajudar os pais, sonhava em comprar-lhes uma casa, dar aos dois uma velhice tranquila. Amava trabalhar, sentir-se útil, capaz, gostava de fazer cursos, aprender com os mais sábios. Seus pais tinham um imenso orgulho dele!
Já, Apavorado era medroso, costumava jogar nas costas alheias os erros que lhe pertenciam, inventava bravatas para enaltecer-se, e calúnias para diminuir os outros. Era cínico, adorava pregar peças e fazer brincadeiras de mau gosto. Medroso demais temia os mais fortes, os mais inteligentes, os mais ricos. Bajulava e criava verdadeiras epopeias para gabar “os valores” daqueles a quem temia. Poderia usar, como uma luva, o apelido de “Púlia”.
Finalmente, o mafagafo Comum. O ovinho do qual ele saiu, foi o último a quebrar, era risonho, mas um pouco encabulado, amigo dos amigos, cheio de carinho pelos pais e irmãos. Às vezes, por qualquer bobagem ficava irado, mal educado, rabugento, porém, logo voltava ao normal, oferecendo-se para ajudar, caso alguém precisasse. De vez em quando, era meio vaidoso e presepeiro, um tanto gabola, contava com a cara mais limpa, que as calanguinhas, bem como as mafagafas, e até as lagartixas viviam lhe jogando charme e que diziam não haver nas redondezas mafagafo mais belo, inteligente, educado, forte, etc... Enfim, uma mentirinha tola, quase inocente, que não denegria, nem machucava ninguém, bazófias, nada mais.
Relendo o que acabei de escrever, percebi que sem nenhuma pré-intenção, descrevi milhares de seres humanos com os quais convivemos pela vida a fora!
O único consolo que me resta é ter me limitado a dez mafagafinhos, acho que nem eu, nem vocês, suportaríamos aumentar a família (na verdade, volta e meia os meus delírios saem do controle), pior mesmo foi para esses pais, com tantos mafagafinhos, e você, se identifica com algum deles?

Mil beijos,

Tania Pinheiro.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O poder do perdão


Oi meus queridos,

Hoje gostaria de falar e compartilhar com vocês, algo que me toca profundamente: O poder do perdão. Gostaria de ponderar sobre a força e o poder que tem o perdão verdadeiro que vem do coração!
Na verdade, para perdoar temos que DELETAR da memória e da alma o que nos ofendeu e feriu, dizer que perdoou e “volta e meia” relembrar... Não, isso não é perdão.
Também não faz sentido nos sentirmos bons, humildes, superiores por perdoar. Na realidade, se pensarmos um pouquinho, quanta gente já ferimos, ignoramos, tratamos quase sem respeito, e nunca lhes pedimos perdão?
Acredito que o perdão verdadeiro é mais difícil e raro que o amor, a amizade, o respeito ao outro, pois só é capaz de perdoar aquele que sente tudo isso, e despido de soberba ou orgulho PERDOA.
No ano de 1997 um menino de apenas oito anos foi sequestrado e assassinado por funcionários que trabalhavam na empresa de seu próprio pai. Sua família por amor ao menino Ives, a Deus e ao próximo, tirou da dor força e fé, tendo a capacidade de perdoar e seguir em frente. A partir daí foi fundado o Instituto Ives Ota que ampara e acolhe pessoas que passam por situações semelhantes.
Todos os dias nos sentimos atingidos por alguém ou algo ruim, a maioria de nós rumina e alimenta o acontecido, até que ele vire “chaga”, marca profunda, imperdoável, e por nossa própria vontade envenenamos o nosso espírito, perdemos nossa alegria e a fé no nosso semelhante.
O orgulho, a ignorância, a intolerância, a incapacidade de nos sabermos iguais (também nós ferimos, ofendemos, traímos, etc... etc...), nos cega e impede, de simplesmente entender e perdoar!
Talvez por nos sentirmos “tão, tão”, em nossa cabeça, raramente passa que temos mazelas, sequelas, desvios de caráter como a inveja, a raiva, a intolerância, a falta de caridade cristã, a soberba (meu Deus! são tantos defeitos!!!), não percebemos quando e quanto podemos fazer mal ao nosso irmão.  Pior, não temos noção do mal que fazemos a nós mesmos!
Enquanto ruminamos nossos fracassos, nossas perdas, enquanto lamentamos as oportunidades perdidas e as que desprezamos (nos achando melhores do que o ofertado), enquanto praticamos “o refluxo” dos amores errados, dos amigos “da onça”, dos parentes mesquinhos, nossa alma vai escurecendo, nossos sonhos falecem, nossa vida fica “mofada e pesada”. Nosso corpo assimila todo o mal, toda a podridão que “alimentamos”, sabe-se lá o motivo, e adoece!
Câncer, infarto, AVC, depressão mórbida, dependências química ou alcoólica são reflexos externos do nosso interior enfermo.
Só o perdão pode nos curar, ou pelo menos, tornar menos pesado o nosso fardo!
O perdão acompanhado de um sorriso, um abraço, um olhar de carinho SINCEROS, vale por mil tratamentos químicos, cultos, missas, sessões espíritas, ou idas ao psicoterapeuta!
O perdão é o presente maior que Deus nos legou: Cristo, segundo as Escrituras, sacrificou-se para garantir o nosso PERDÃO.
Precisamos começar (urgentemente) a pensar nisso e procurar praticar essa benção divina, começando perdoando a NÓS MESMOS, e estendendo esse perdão a tudo e a todos que nos cercam.
Certamente, não é fácil, com toda a verdade da alma. É quase impossível que consigamos dar conta dessa linda lição de vida, porém, começando por me auto perdoar e tentando com toda fé e determinação, estender o PERDÃO aos que EU julgo terem me prejudicado, não tenho dúvidas: reencontrarei meu sorriso, minha alegria e vontade de viver. E Deus, está comigo, hei de conseguir!!!
P.S Não vou dar desculpas furadas para o meu sumiço, muitas coisas estão acontecendo e depois escreverei contando essa saga, por agora, peço desculpas pela demora nas postagens e pretendo logo estar de volta.

Mil beijos,

Tania Pinheiro.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Acaboooooou!!! (Será?)


Oi meus queridos,

Conforme prometi, cá estou eu (ou o que restou de mim depois de ter sentido tanta raiva, vergonha, vontade de virar marciana...).
Não fomos HEXA. Finalmente a Seleção brasileira descobriu-se apenas mais uma entre as 32 convocadas.
A Alemanha além de ser hoje, o país mais forte economicamente de todo o continente europeu e adjacências, ainda se dá ao luxo de JOGAR FUTEBOL, saber-se um time, em que todos (cada um em sua posição) são craques, cumprem com o seu papel!
Parabéns! O time, o técnico, o futebol, e o povo alemão, merecem todos os aplausos e respeito do MUNDO!
Para nós sobrou além da vergonha de 10 gols em 2 jogos o caos que começa agora.
Como diria o grande Adoniran Barbosa, “é nêgo, se lascamo! Perdemo a taça, a vergonha, jogamo com bola quadrada e ainda ficamo com a CONTA”!
Se a Copa decorreu com relativa segurança, encantamento e alegria, o ÚNICO responsável por isso, foi o POVO BRASILEIRO, que acolheu, abraçou, mostrou as belezas naturais (e as “turbinadas”), respeitou, tratou cada gringo como gente da família, que mora longe, e veio matar saudade!
O povo, com sua leveza, coragem, amor a pátria, e até uma certa “molecagem” (vide as muitas vaias recebidas pelas “otoridades” onde quer que se fizessem vistos)!
Mas, e agora? As obras estruturais, apesar de hiper-super-ultra-mega faturadas, não ficaram prontas. Algumas nem do papel saíram... Algumas cidades Sede estão destruídas, buracos, vias públicas intransitáveis (em Natal-RN, até desmoronamento houve). A saúde mais uma vez lesada em seu orçamento, tornou-se caso de calamidade pública. Caiu a produção industrial, o comércio (no geral) arcou com sérios prejuízos (em função de tantos feriados e horários reduzidos de trabalho), as patifarias cresceram em todos os sentidos: muita droga, muito turismo sexual, muitos roubos, muitas doenças compartilhadas (principalmente as sexualmente transmissíveis)...
A dívida que temos para zerar os gastos com a Copa é inenarrável! Acho que nem o melhor dos picaretas oficiais do Governo sabe o número de zeros que seguem céleres os “2.200”, “3.800”, sei lá quantos “zilhões” de Euros!
O pior é que ano que vem haverá eleição. Tomara que pelo menos dessa vez, usemos o nosso cérebro e consciência, o que quer dizer, que “está na hora de passar a Sacolinha”, como dizia o pastor Tim Tones (personagem do inesquecível Chico Anízio). Então, nada de esperar por reparação de erros, construção de escolas, hospitais, estradas, etc, etc, etc....
Há que se manter ou ganhar o poder, custe o que custar, doa a quem doer!
E em 2016 teremos Olimpíadas!!! É mole ou quer mais?
Nossos craques já voltaram para casa: Londres, Madri, Barcelona, Porto, Munique... Só o Neymar Júnior ainda não se decidiu, se vai de iate, helicóptero ou avião, afinal, ele é proprietário dos três veículos!
Pobre povo brasileiro, pobre e amada patriazinha.

P.S Achei linda a homenagem que os alemães fizeram aos Pataxós, dançando em torno da Taça. Além de tudo o que fizeram por eles enquanto estavam na Bahia, mostraram para o mundo o respeito e o carinho que ficou entre todos. Lindo!


Mil beijos,
Tania Pinheiro. 

quarta-feira, 2 de julho de 2014

“Bem, amigos do Tô com Aquilo”...


Oi meus queridos,

Sei que a maioria de vocês pensou que eu tivesse “viajado”, sem dizer adeus.
Faz tempo que não escrevo, e, por diversos motivos: preguiça, raiva, revolta com o comportamento de COMANDANTES e COMANDADOS, indignação com a inércia coletiva, desgosto por me ver obrigada a aceitar que, embora sendo uma sexagenária, que passou por momentos inenarráveis, sou idiota, a ponto de acreditar que “UM MILAGRE” possa acontecer e, pela misericórdia do Mestre do Universo, cada um de nós, tomará consciência de seus erros, enganos e mazelas, procurando consertar seus defeitos, olhando o outro com afeto, respeitando a natureza, as águas, os bichos, reformando seus interiores, parando de roubar (inclusive os políticos!), mentir, manipular, destruir a Grande Obra (o Universo) que tão amorosamente nos foi dado para que crescêssemos, melhorássemos, aprendêssemos e ensinássemos, enfim, para que HONRÁSSEMOS a riqueza de estarmos vivos, tendo o sol (todos os  dias), o ar, a natureza e a promessa de que sabendo como desfrutar tudo o que temos, a FELICIDADE deixa de ser um sonho para se tornar real.
Não estou acompanhando a Copa, mas estou realmente angustiada com o pós Copa! Não estou torcendo para que o Brasil seja campeão (embora saiba que a manipulação, que fará lucrar TODOS os envolvidos, já está acertada!), pois sei que o preço pago para tal vitória, envolve tudo o que não presta: roubo, lavagem de dinheiro, acertos corruptos, acordos impensáveis, enfim, vamos suar sangue e “comer o pão que o capeta amassou” para ouvir o Galvão gritar: É Hexa!!!
Como se drogados coletivamente, boa parte do povo irá às urnas confirmar nossa ingênua ignorância.
Enquanto isso, arquivam-se processos, liberta-se calhordas para “trabalharem” fora da cadeia, escarra-se sobre a bandeira e o povo brasileiro com toda a ousadia que o Poder permite e aplaude.
Continuo em tratamento, e fico me perguntando como ficará “o cartão de visitas” do PSDB, o ICESP, onde tudo funciona, inclusive a farmácia, e que se comparado ao resto da saúde pública de vários estados, prova a incompetência e a irresponsabilidade, o descaso e falta de honestidade de tantos governantes...
Ainda tenho três anos de acompanhamento pela frente (se Deus assim o quiser), e juro, tenho medo de que AS COISAS MUDEM e, eu, assim como alguns milhares de pacientes, sejamos abandonados, porém levando na alma o orgulho do TÍTULO, principalmente  se for ganho de los hermanos argentinos.
Enquanto a bola rola, crescem os estupros, roubos, assaltos, invasões duvidosas, expropriações mais duvidosas ainda, cresce o turismo sexual e a transmissão de várias doenças importadas, cresce e brilha a “cara de pau” de uns e outros, que mandam, desmandam, e batem palmas, cresce em mim a vergonha de ser brasileira.
Que Deus nos proteja, tenha piedade da nossa falta de informação, compromisso com o futuro e bom senso, que Ele perdoe e ampare nosso povo tão pobre de sabedoria e cultura, a ponto de não comprar o pão para alimentar a família, para comemorar devidamente uniformizados a garantia de que AQUI É O PAÍS DO FUTEBOL!!!
Depois da Copa eu volto.

Mil beijos,

Tania Pinheiro.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Se lhe for possível, creia!


Oi meus queridos,

Embora a situação seja uma piada, se eu viver até os 100 anos, morro sem ver e saber de tudo! Ficarão faltando milhões de informações importantes e outros milhões de absurdos, desvarios, ideias e ações totalmente chocantes e sem noção!
Passei o final de semana em casa, exercitando minha mente (sic), fazendo palavras cruzadas, criptos, caça-palavras, enfim, essas magníficas peças baratas e instigantes, que os geriatras recomendam como prevenção ao Alzheimer.
Numa das revistinhas havia uma lista dos 17 mais ricos do mundo, com seus nomes, propriedades e valor da fortuna. Achei muito importante saber que os herdeiros do Walmart (os quatro) estão na lista. Impressionante!!!
Mas o que realmente chamou minha atenção, enriquecendo profundamente minha cultura sobre a BIZARRICE, falta de caridade cristã, ou quem sabe punição ao rebento que puseram no mundo, foi a lista INACREDITÁVEL de nomes que a revista Cripto Passatempos Inteligentes, da Editora Roma (www.consulteroma.com.br), que garante serem informações verídicas, facilmente confirmáveis, enfim, com aval dos editores e dos Cartórios Civis dessa nossa Pátria exoticamente amada, e por que não dizer implacavelmente louca e cruel!  
Não vou continuar escrevendo sobre minha perplexidade. Vou simplesmente transcrever a página. No final, caso queira, ACREDITE. Senão, use para contar como piada de brasileiros para os seus amigos portugueses!

Lá vai a lista de nomes:

Assumida Prometida de Souza
Dadivosa da Linhagem Desejada
Denunciada dos Desvios do Socorro
Documentada Registrada da Silva
Dorémi das Escalas Sonoras e Magalhães
Enrugadinha Carijó
Falidora da Fortuna Dopai Ramir
Gardenio Carmélio Rosaldo
Gentleman Benvindo Welcomer da Silva
Grudomar Coláceo Tudojunto Raspaduras
Inocêncio Coitadinho
Lançaperfume Rodometálico de Andrade
Lírio Dengoso Gaylos Almeidinha
Nascente Nascido Puro
Orelhuda Vesguinha Marcondes
Peixebom das Redescheias Camilo Cruz
Ratazano Fucinhudo Perpendicular
Sandra Malandra de Veu da Noiva Baptista
Tegucigalpo Texuguinho Tarantulo
E finalmente:
Vaicom Tudoemcima Naruê

É mole, ou querem mais?
Se existem doidos que registram filhos com nomes tão “peculiares”, fica mais fácil entender um monte de revoltados, bipolares, e consequentemente psiquiatras que habitam nossas terras!
Porém, caso exista alguém com uma mente tão criativa, exótica, capaz de criar coisas tão profundamente educativas, divertidas e ÚNICAS, gostaria de conhecer a “figura”. Decididamente, dá de mil em confusão mental e esquesitice em qualquer um dos nossos governantes, mas, verdade seja dita, pelo menos nesse caso nos faz rir, ao invés de quase acordar o nosso “instinto assassino”!
“Êêê Brasil véio de guerra, sem cerca, chave ou porteira”... Mas tudo bem, já já, o Galvão estará berrando a todo pulmão o seu tradicional Goooool de Cristiano RRRRonaldo!


Mil beijos,

Tania Pinheiro.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Eu também tô por aqui...


Oi meus queridos,

Faz tempo que não escrevo, na verdade até tenho escrito, mas falta vontade de postar.
Meu silêncio deve-se a alguns fatores simples, porém, que como pessoa prezo muito.
Não tenho sentido que o blog esteja sendo útil a alguém. Tenho duas amigas, ambas escritoras (uma é imortal), que é só lerem a postagem e de imediato, respondem, compartilham. Nenhuma das duas é portadora de câncer!
Então, fico me perguntando se não estou fazendo papel de boba, chata, “Alice no País das Maravilhas”, quando escrevo sobre fé, coragem, determinação, quando foco minhas palavras no agradecimento, no amor, na certeza da misericórdia divina?!?
Às vezes, quando meto o pau na política e nos políticos, me vem à cabeça a ideia de que muitos ao ler pensarão o quanto sou idiota, sem noção, já que minhas denúncias e reclamos não mudam, nem mudarão nada nesse país! Continuaremos elegendo ladrões, safardanas, corruptos, incompetentes e mal intencionados, continuaremos felizes em receber o MUNDO em nossa CASA para uma Copa (sic), que deixará o legado de uma dívida faraônica, impagável, sem sentido ou precisão.
Como nossas portas estão abertas para todos, poderemos receber quem quiser vir, desde torcedores comuns, até terroristas e homens bombas infiltrados na multidão, que sem dúvida, terão possibilidade de cometer todos os tipos de absurdos e calamidades, visto que, o VISTO do Itamarati, está garantido a quem solicitá-lo.
Enquanto isso, hospitais fecham, como por exemplo, o Hospital do Coração de Messejana em Fortaleza-CE, que foi interditado obrigando-se a transferir para outros hospitais TODOS os seus pacientes, devido à infestação de bactérias, que transformaram o local num enorme centro de infecção hospitalar! Declarados foram 7 mortes. Será?
No resto do País da Copa a situação não é muito diferente e pobre do gringo que precisar de atendimento...
Violência é um capítulo que prefiro pular, assim como latrocínios, turismo sexual, tráfico de drogas, e “otras cositas más”!
Há duas semanas, Dr. Dráuzio Varela vem mostrando no fantástico, uma serie sobre câncer de mama. É simplesmente inacreditável como a doença vem crescendo em todo país: por descaso, falta de prevenção, informação e atendimento. É revoltante assistir impotentemente a morte, mutilação, depressão e consequentemente, falta de alegria, de fé, de autoestima, de vontade de lutar de tantas mulheres Brasil a fora!
Mas, não só nós mulheres somos vítimas, crianças, jovens, homens de todas as idades e condições sociais tem conhecido de perto a dor do câncer, além dos infartos, AVC’s, diabetes, depressão, e... Só Deus sabe mais o que?!?
Não vou falar de educação, a única solução que salvaria a Pátria. Cansei.
Não vou falar de honra, patriotismo, solidariedade e respeito ao próximo. Tudo isso é utopia.
Não vou falar de ônibus queimados, de manifestações (de todas as categorias), ou do quanto já foram superfaturados o preço dos hotéis, omeletes, água de coco ou hot dogs.
Dia desses, me peguei pensando, como estará o humorista Shaolin? Nunca mais ouvi falar! E o Belchior? Tenho um amigo, que disse que por ter “medo de avião”, ele foi abduzido...
Queria tanto ter coisas boas pra dizer, queria tanto que vocês me respondessem, queria tanto não estar me sentindo com tanto medo...
Queria descobrir um lugarzinho, calmo, com ar puro, sem energia nem tv, com muito verde e água limpa e fugir pra lá, até depois das Olímpiadas. Juro que levaria qualquer um que quisesse compartilhar dessa Graça.
Mas, como diz a propaganda, “sabe de nada inocente”!!!
No mais, continuo em tratamento, graças a Deus com a Tatá do lado e o Léo mais presente, continuo querendo trabalhar, me ocupar, me sentir útil, continuo amando vocês, e torcendo pra que Deus não esqueça, que todos nós pobres mortais, temos a certeza de que ELE É BRASILEIRO! (Amém.)

Mil beijos,

Tania Pinheiro. 

domingo, 4 de maio de 2014

Louvado seja o nosso suor!


Oi meus queridos,

*Esse texto foi escrito no dia 1° de maio, e só está sendo postado agora, pois eu sou filha de Deus, e também merecia o fim de semana para lavar roupa e cuidar da casa, coisa que trabalhador faz quando tem folga. Desculpa aí.

Hoje 1° de maio, feriado, comemora-se o DIA DO TRABALHADOR, ou seja, o NOSSO dia, que com o suor dos nossos corpos, da força dos nossos músculos, do brilho das nossas inteligências, enfim, a total doação de nossas vidas para ganharmos o pão e alimentarmos os nossos HONESTAMENTE, temos pelo menos hoje o reconhecimento de nossas existências.
Desde que nossas terras foram invadidas e rebatizadas pelos europeus, que ao apoderarem-se do solo e de tudo e todos que nele viviam, somos roubados, espoliados, enganados (até com espelhinhos), vimos pacificamente à retirada do ouro, pedras preciosas, metais diversos, assistimos impotentes à derrubada das matas e florestas, a poluição dos rios e mares, o extermínio de pássaros, animais, e até de gente contrabandeada para servir como escravos, inclusive sexuais, ou doadores “VOLUNTÁRIOS” de órgãos, e por incrível que pareça isso continua acontecendo nos dias de hoje, em pleno século XXI.
Lá se vão 514 anos de exploração, desrespeito, descaso, falta de amor a Pátria!
Os políticos que nós, na nossa pouca cultura e enorme esperança, elegemos, não demora, botam as manguinhas de fora, juntam-se a camarilha que já está estabelecida e, com seus assentos garantidos tornam-se para nós mais uma decepção, mais uma punhalada.
O incrível é que apesar de tudo isso, apesar dos invasores e governantes por nós escolhidos, apesar dos desvios de verba, de saúde e educação inexistentes, de Copas e Olimpíadas mega-hiper-super faturadas, para benefício sempre dos MESMOS, continuamos um País rico, na mira gananciosa das gangues locais e internacionais.
O Brasil é um dos países com maior número de feriados no mundo, isso se não for o maior! Mas você sabe quanto nos custa, a nós trabalhadores, um feriado?
Se por acaso ele ocorrer na quinta ou segunda-feira, os que podem emendam, e aí, para-se a produção, diminui o comércio, as escolas dão-se ao luxo de não funcionar, e consequentemente, não ensinar nossas crianças e jovens, e tudo isso reflete diretamente em nossos impostos e taxas!
Já foi pior, quando eu era menina, os dias Santos também eram feriado! Sinceramente, não sei quem foi o iluminado que acabou com esse absurdo, mas tiro o meu chapéu!
Resolvi me dar o direito de não fazer nada, só por hoje, ficar na cama, ler um livro, tomar um chá quente, ligar para os amigos, enfim, no único dia em que posso comemorar minha utilidade ao “sistema”, resolvi ser quase tão inútil quanto aqueles que vivem 365 dias em folgas e festas. Ainda fui dadivosa e dei folga pra Tatá, que pelo menos no 1° de maio, ficou livre da minha rabugice (tadinha).
Porém, amanhã volto à luta, e só para contrariar, para “encher o saco”, vou continuar honesta, pagando minhas contas, respeitando o bem alheio, devolvendo o troco que me for dado a mais... Só por que me dá prazer dormir em paz, continuarei aos 61 anos, me orgulhando de não ter participado ou participar de qualquer patifaria cometida pelos inúmeros políticos para os quais eu trabalhei!
Como dizia o meu Moleque, “eu acredito na rapaziada” e com orgulho, saúdo a cada trabalhador e trabalhadora deste País, que pela misericórdia Divina não foi por Deus abandonado.
Salve o 1° de maio, viva o povo brasileiro!

Mil beijos,
Tania Pinheiro.


domingo, 20 de abril de 2014

Bem vindo aos nossos corações, amado, Jesus Cristinho!


Oi meus queridos,

Confesso que estou escrevendo por amor. Amor aos meus, a vocês, a vida, amor ao Pai Maior... Apesar de estar com muitas dores nos ossos.
As pessoas, em geral, associam a páscoa com bacalhau, vinho, chocolate, feriados prolongados, porém, o real sentido da semana santa, serve para nos lembrar do sofrimento e morte do Filho de Deus, feito homem, que imolando-se na cruz, nos libertou. O calvário, as humilhações, todos os padecimentos por Ele vividos, deram-nos a esperança de uma nova vida.
O sábado, quando dizemos Aleluia, é o dia em que Ele ressurgiu dos mortos, conforme havia prometido, e sabendo da grandeza de Sua atitude, no Domingo Pascal, para júbilo do Pai, Reconhecido como Filho de Deus, completou a Santíssima Trindade para nos abençoar, iluminar, guardar e proteger.
O comércio, a ganância, as ideologias controversas mudaram o sentido da Páscoa!
Quando eu era menina, minha mãe fazia um bolo para eu e meus irmãos comemorarmos o aniversário do Cristo. Era lindo!
Independente da sua crença, religião, ou falta delas, queremos desejar do fundo dos nossos corações, que a Ressurreição do Mestre, lhes traga saúde, paz, alegria, prosperidade, amor ao próximo, gratidão por tudo o que recebeu e recebe, humildade para reconhecer o valor da vida e toda a felicidade do mundo!
É nisso que nós, a Táta e eu, acreditamos, e por isso, fazemos questão de compartilhar com vocês.
P.S para os consumistas e chocólatras, desejamos que o coelho venha de saco bem cheio.
Feliz Páscoa!                                    
              
                  

Mil beijos,

Tania Pinheiro.

sábado, 12 de abril de 2014

Semeando o amor para colher a luz!


Oi meus queridos,

A última postagem que fiz, foi uma homenagem a um grande amigo, a quem amamos profundamente, Tatá e eu.
Leandro faleceu de um modo brusco, violento, que cortou sua missão antes da hora.
A Tainá teve uma espécie de iluminação. Acordou em plena madrugada com um propósito maravilhoso!
Nós, que amamos o nosso moleque querido, que já fomos tantas vezes ajudados e acolhidos por ele, precisamos nos unir e não deixar a lembrança da alegria, da amizade, do carinho, enfim, de tantas coisas boas que ele fez serem esquecidas, visto que não existem tantos seres como ele nesse mundo de Deus!
Então, ela pensou em lançar uma campanha em que todos os que têm carinho e gratidão pelo nosso amigo, elejam um dia da semana para fazer uma boa ação em intenção do Leandro. Não precisa ser para sempre, mas enquanto o coração assim pedir: Pode ser uma quentinha para um morador de rua, um abraço em quem está triste, doar sangue, agasalhos, visitar um asilo ou orfanato e contar estórias, desenhar, cantar, adotar ou alimentar um animalzinho abandonado, levar uma cesta básica para uma família carente, aproveitar a páscoa e distribuir doces para as crianças humildes, cumprimentar com um sorriso as pessoas por quem passamos, agradecer... E tudo acompanhado de uma oração, de um pedido de luz e paz, de um pensamento de amor, confiando com toda nossa fé na misericórdia do Pai Maior. Oferecer ao Leandro, nossos melhores sentimentos, lembrá-lo com alegria, saudades boas, e em nossas preces, rogar para que ele encontre a luz, a paz, a compreensão e o abraço fraterno do Todo Poderoso, que certamente vai acolhê-lo por tudo que ele sempre fez e foi!
Se cada um de nós nos unirmos nessa corrente, compartilhar com outros amigos, certamente estaremos fazendo bem no mínimo a três pessoas, a nós mesmos, aos acolhidos ou beneficiados, com nossas atitudes, e PRINCIPALMENTE ao Leandro, que saberá o tamanho do nosso carinho, da nossa saudade imensa, e da nossa certeza que ele encontrará seu lugar repleto de luz e paz eterna!
Por favor, por amor, junte-se a nós e sinta a felicidade do dar, do ajudar, do acolher, do espalhar felicidade, como o Leandro nos ensinou enquanto esteve entre nós.
Fica com Deus meu amigo, nós amamos você!


Mil beijos,

Tania Pinheiro.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Seu cantinho no meu coração nunca será ocupado...


Oi meus queridos,

É com lágrimas correndo pela face, que começo essa postagem. Meu coração dói tanto, que sinto medo que de repente, ele se negue em continuar batendo.

Ontem, faltando pouco para a hora do Ângelus (eram 17:58), minha filha me ligou em pranto profundo, quase sem voz e me disse: mãe, tenho algo muito difícil pra te contar, aconteceu uma coisa muito triste, muito dolorosa, foi com o Leandro, nosso amigo, seu quase filho, meu quase irmão, nosso palhaço galanteador particular... se foi, o Leandro faleceu.

Minha primeira reação, foi não ter reação. Estive com ele algumas horas antes, brincamos, rimos, e como sempre fazíamos, trocamos um abraço apertado e um beijo barulhento!

“Morreu? Como assim?”. A ficha entalou e não conseguia cair. Aí, consegui chorar. Muito!

O Leandro, que eu chamava de Léo por ser muito parecido com o meu filho, foi a primeira pessoa que me recebeu no Icesp. Foi ele quem gerou meu prontuário, e me acompanhou nesses quase três anos em que estou na luta.

Ele foi ao meu aniversário de 59 anos, que comemoramos na Cachaçaria, com samba, cerveja e risadas! Convidei a bancada toda do Icesp, mas só ele compareceu.

Ele veio a minha casa, me trazer rosas, embaixo de muita chuva, quando fiz 60 anos. Bebemos e comemos muito, rodeados de pessoas queridas, e mais uma vez, não faltaram piadas, pilherias, abraços, AMIZADE! Até banho pra se aprontar pra continuar noite adentro na balada ele tomou.

Nunca vi o Le sem um sorriso. Nunca cheguei à bancada sem abraçar e beijar cada um, começando sempre por ele!

Quando estive internada quase a beira da morte, ele trocava seu horário de almoço, por uma visita para mim. Não sei dizer quantas vezes ele segurou as mãos da Tatá e disse: “Força, ela vai sair dessa”! E se minha filha balançasse um pouquinho na fé, ele fechava a cara (dá pra imaginar?) e falava sério: “Mulher, nós estamos falando de Tania Pinheiro”. Não tinha como não animar minha princesa.

Sabe, Leandro, eu acredito piamente em Deus e no que Ele determina na sua misericórdia. Eu acredito que Ele é o único capaz de separar o “joio do trigo”, e você, certamente, está no montinho que vai “virar pão”, para alimentar nossas almas, coração e fé!

Você, que já virou estrelinha, vai servir de incentivo a muitos beijos de amor... Você, que continua “semi-anjo” continuará ajudando a quem precisa, trazendo aos nossos lábios um sorriso de amor e saudade, cada vez que lembrarmos de ti.

Apesar de São-paulino (como o meu filho), refuto a você como defeitos, somente o jeito de moleque metido a garanhão, a capacidade de frases e trocadilhos infames e nunca ter me convidado pra um pagode na laje, fosse de quem fosse!

Tenho certeza que a sua chegada ao outro lado foi cheia de luz, de ternura... Que os querubins, arcanjos, anjos e serafins riram muito das suas palhaçadas.

Nós que ficamos, estamos consumidos pela dor e pela saudade, mas na certeza de que você está em paz, na graça e glória do Pai Maior!

A Tatá e eu estamos muito, muito tristes mesmo, porém, pela nossa fé e por amá-lo tanto, esse sentimento se transforma em esperança e resignação, pois sabemos que não acabou por aqui, ainda vamos nos esbarrar nesse mundão de meu Deus!

Segue em paz, que o Senhor te abençoe, te guarde, proteja e ilumine sempre, meu filho.



O Tô com Aquilo hoje, homenageia o seu Tricolor!!!  

Milhões de beijos.
Amamos você!


Tania Pinheiro.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Escutar, entender, acolher...


Oi meus queridos,

Há uns dias passados, fui ao ICESP em busca de ajuda para começar a fazer a fisioterapia do meu joelho (lá atrás, eu conto a saga que foram os meus tombos), estou encontrando dificuldades, pois além de ser uma paciente em tratamento de câncer, a quimioterapia intensificou uma osteoporose, o que me deixa ainda mais vulnerável no que se refere a fraturas e quedas.
Como não tinha consulta marcada, fiquei “sentadinha e bonitinha”, aguardando uma brecha para conversar com a assistente social.
Ao meu lado, uma mulher, de seus 40 e poucos anos, chorava copiosamente. Como vocês sabem, sou atrevida, intrometida, e solidária, e por esses motivos me dei o direito de perguntar se poderia ajudar em alguma coisa.
“Bia” (nome que inventei) contou-me estar com um carcinoma na mama direita, e, que tinha certeza de que na hora que fizesse a cirurgia, ficaria só, perderia a mama, o marido, a vontade de viver...
Perguntei então, se o procedimento indicado fora a mastectomia (retirada total da mama). Ela disse que não sabia ainda, pois aquela era a primeira vez que estava indo ao hospital para cumprir os tramites que lhe permitiriam a cirurgia e o tratamento.
Como é de conhecimento geral, fiz em junho de 2011 uma quadrantectomia, para retirar um nódulo do seio esquerdo. Pouco tempo depois, tive que passar por outra cirurgia de esvaziamento axilar, já que o câncer havia voltado. Fiz quimio e radioterapia, tive alguns (muitos) problemas no decorrer desses quase 3 anos.
Vi gente querida morrer, se curar, tentei confortar famílias inconformadas, assisti amigos confortando minha filha... “Não foi mole não”.
Como sou abusada e totalmente sem pudor, abri a blusa e mostrei a ela a OBRA DE ARTE que estavam os meus seios. Sem modéstia, até vale uma foto na Playboy (risos).
O milagre foi executado pelas equipes de dois grandes profissionais, Dr. Felipe Martins de Andrade, que retirou o nódulo, e a do Dr. Márcio Paulino Costa, que fez a plástica. Ela olhava os meus seios encantada.
Então, perguntei por que ela afirmava que perderia a mama? Isso já fora determinado pela equipe oncológica? Não!
Se acaso, por vontade de Deus o procedimento fosse esse, o que impediria que ela se submetesse a uma plástica tão linda quanto a minha? Nada!
Aquele medo, desespero, falta de fé na competência dos profissionais que iriam atendê-la, e, principalmente, na misericórdia divina, mudaria em alguma coisa a realidade que ela estava vivendo? Não.
Ficamos alguns minutos em silêncio, ela já não chorava mais...
De repente, pra minha surpresa, ela me perguntou: E o meu marido, como será que ele vai reagir? Ele diz que adora os meus seios...
Sorri, sem piedade ou espírito crítico, somente sorri e disse a “Bia”, que graças a Deus, não tenho marido, “marida”, namorado ou namorada, ficante, ou pegante, mas se esse fosse o caso, e a pessoa que estivesse ao meu lado dizendo que me amava “balançasse” diante do problema, se UM SEIO, valesse mais que o meu carinho, respeito, amor, compreensão e parceria, enfim, sentimentos que não se compram no shopping, de minha parte eu queria ESTE SER bem longe, de preferência na Ucrânia, no Irã ou quem sabe na PQP!
Não somos PARTES, somos TODO!
Acho inadmissível ser encarada como uma peça de filé, uma fruta, ou um peixe fresco! Sou GENTE! Penso, sinto, amo, choro, rio, luto, tenho raiva, gratidão... Sem essa de me comparar a um par de tetas!
Quando dei por mim, estávamos ambas as gargalhadas. A assistente social parada a nossa frente, estava com cara de “Hã?!” nos despedimos com um grande e sincero abraço, trocamos telefones e email, convidei-a a conhecer meu tesouro (Tatá), o blog e quem sabe até as baladas do Butantã (risos). As duas entraram na sala, fecharam a porta, e eu continuei “sentadinha bonitinha”, esperando minha vez de ser atendida.
Tenho certeza que o Pai Maior fará pela “Bia”, o que for melhor para ela. Torço, por isso, do fundo do coração.
P.S. Decididamente, adoro não ter parceiro(a), em compensação, estou louca para comprar um peixinho vermelho.

Mil beijos,
Tania Pinheiro.