segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Eu entendo São Francisco...


Oi meus queridos,

Desculpem as poucas postagens, porém a Tatá está trabalhando o dia todo, e quando chega ainda vai cuidar da “aleijadinha” aqui. Mas, prometo pra vocês que logo que eu tire o gesso e começo meu curso de informática.
Engraçado, mas vendo e convivendo com tanta maldade, tanta grosseria, tanta falta de respeito e solidariedade, tanta usura, ganância e até perversão e perversidade, chego a triste conclusão de que São Francisco, já lá se vão alguns séculos, fez a escolha certa: os ANIMAIS são em sua essência mais amigos, sinceros, protetores, fiéis, decentes, são capazes de perdoar e esquecer um mau trato, e mostrar sem medo ou vergonha o amor que sentem por seus donos, e, ironicamente, na classificação biológica, são tidos como IRRACIONAIS!!!
Nós, os tidos como HUMANOS matamos por qualquer tolice: defender a “honra”, roubar um tênis, descartar alguém que está nos incomodando, matamos porque passamos do limite na bebida, na velocidade, na necessidade de mostrar que somos mais fortes e corajosos, matamos por indolência, por intolerância, inveja, por falta de amor a Deus e a vida!
Além disso, traímos, mentimos, roubamos, sonegamos impostos e ajuda ao nosso semelhante, ensinamos aos inocentes os caminhos errados e indecentes, tentamos levar vantagem em tudo (custe o que custar!), enfim, nos comportamos no dia a dia como bestas, embora, BESTAS HUMANAS!
Sei que existem exceções, graças a Deus! Não fora isso, já não haveriam habitantes no planeta azul.  Porém, em comparação AOS OUTROS (não sei se não são minoria) os que protegem os animais, a natureza, os bichos, os semelhantes, a vida, e ao Criador. Não sei o tamanho ou dimensão das legiões dos que colocam fogo em índio, jogam filhos pela janela, envenenam pais e avós, apresentam a droga principalmente o crack para os mais fracos, desamados e jogados a própria sorte. Não sei se a legião do bem, que luta por rios limpos, baleias, focas e leões marinhos, que fica indignada com o tráfico de pássaros, drogas, órgãos, gente, “COISAS” que nos “pertencem” e as quais amamos, terá força e capacidade para enfrentar e vencer o OUTRO TIME.
Tornamo-nos um exército de consumidores compulsivos, de elementos sem caráter, que vendem a própria alma por um lugar de destaque, um salário mais alto, uma posição de poder. A ordem é cada vez mais lucrar, ganhar, crescer (mesmo que para isso precisemos esmagar um irmão). Coisas de seres RACIONAIS!
Na natureza, os bichos matam para proteger os seus, para matar a fome ou por autodefesa. Alguém já ouviu dizer de organização de safares de leões para caçar GENTE e expor suas cabeças como premio à sua pontaria, força e coragem?
O mundo transformou-se numa selva, num salve-se quem e como puder. Disputamos entre nós (cada um com suas armas) emprego, saúde, educação, moradia, amor, respeito, destaque social... Disputamos o ar que respiramos, a água que bebemos, e em breve disputaremos as gotas de chuva e os raios de sol.
Eu entendo São Francisco, que conversava com os pássaros, acarinhava as onças, os tigres e os falcões. Que alimentava com o pão de sua boca, os pequeninos seres das matas, dos rios, das savanas e florestas.
Passamos, dia desses meu genro, minha filha e eu por uma lastimável situação que nos provou quão baixo, vil, ardiloso e cruel pode ser o nosso igual enquanto gente. Chama-los de humanos (imagem e semelhança do nosso Criador) seria uma enorme heresia! Fazer o que?
A mim, restou o direito de orar para São Francisco e rogar que com seu poder, ele nos ANIMALIZE um pouco mais!
Talvez, por piedade, ele, São Francisco, me escute e atenda, nos fazendo um pouco mais dignos de nos sentirmos (sem culpa) humanos, e verdadeiros filhos de Deus.

Mil beijos,

Tania Pinheiro.



2 comentários:

Célia Rangel disse...

Tania! Tainá!
Vivemos em um jogo do "salve-se quem puder"... que nem sempre somos vencedores. Vencidos e esmagados pelo consumo capitalista, é valorizado quem produz na escravidão para "seus senhores"... Nisso tudo vivemos nos atalhos da vida digna que, muitas vezes, a tem "os animais irracionais"! Nós, os tidos "racionais" submetemo-nos ao jugo do poder tentando preservar minimamente, nossa zona de conforto. São Francisco, se vivo fosse, estaria rasgando sua oração: "Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz..."
Ainda assim, só na oração encontraremos a força necessária para driblarmos tantas injustiças!
Abração.

Carla Ceres disse...

Quer saber? Também concordo com São Francisco, Tania. Ainda estou bem zangada com quem deixou obstáculo no seu caminho. Isso não é coisa que se faça. Imagino o que você deve estar passando com esse gesso. Aliás, você e a Tatá. Força, vocês duas! Vocês já venceram batalhas mais difíceis. Vão tirar de letra mais essa. Beijos!