terça-feira, 15 de julho de 2014

Acaboooooou!!! (Será?)


Oi meus queridos,

Conforme prometi, cá estou eu (ou o que restou de mim depois de ter sentido tanta raiva, vergonha, vontade de virar marciana...).
Não fomos HEXA. Finalmente a Seleção brasileira descobriu-se apenas mais uma entre as 32 convocadas.
A Alemanha além de ser hoje, o país mais forte economicamente de todo o continente europeu e adjacências, ainda se dá ao luxo de JOGAR FUTEBOL, saber-se um time, em que todos (cada um em sua posição) são craques, cumprem com o seu papel!
Parabéns! O time, o técnico, o futebol, e o povo alemão, merecem todos os aplausos e respeito do MUNDO!
Para nós sobrou além da vergonha de 10 gols em 2 jogos o caos que começa agora.
Como diria o grande Adoniran Barbosa, “é nêgo, se lascamo! Perdemo a taça, a vergonha, jogamo com bola quadrada e ainda ficamo com a CONTA”!
Se a Copa decorreu com relativa segurança, encantamento e alegria, o ÚNICO responsável por isso, foi o POVO BRASILEIRO, que acolheu, abraçou, mostrou as belezas naturais (e as “turbinadas”), respeitou, tratou cada gringo como gente da família, que mora longe, e veio matar saudade!
O povo, com sua leveza, coragem, amor a pátria, e até uma certa “molecagem” (vide as muitas vaias recebidas pelas “otoridades” onde quer que se fizessem vistos)!
Mas, e agora? As obras estruturais, apesar de hiper-super-ultra-mega faturadas, não ficaram prontas. Algumas nem do papel saíram... Algumas cidades Sede estão destruídas, buracos, vias públicas intransitáveis (em Natal-RN, até desmoronamento houve). A saúde mais uma vez lesada em seu orçamento, tornou-se caso de calamidade pública. Caiu a produção industrial, o comércio (no geral) arcou com sérios prejuízos (em função de tantos feriados e horários reduzidos de trabalho), as patifarias cresceram em todos os sentidos: muita droga, muito turismo sexual, muitos roubos, muitas doenças compartilhadas (principalmente as sexualmente transmissíveis)...
A dívida que temos para zerar os gastos com a Copa é inenarrável! Acho que nem o melhor dos picaretas oficiais do Governo sabe o número de zeros que seguem céleres os “2.200”, “3.800”, sei lá quantos “zilhões” de Euros!
O pior é que ano que vem haverá eleição. Tomara que pelo menos dessa vez, usemos o nosso cérebro e consciência, o que quer dizer, que “está na hora de passar a Sacolinha”, como dizia o pastor Tim Tones (personagem do inesquecível Chico Anízio). Então, nada de esperar por reparação de erros, construção de escolas, hospitais, estradas, etc, etc, etc....
Há que se manter ou ganhar o poder, custe o que custar, doa a quem doer!
E em 2016 teremos Olimpíadas!!! É mole ou quer mais?
Nossos craques já voltaram para casa: Londres, Madri, Barcelona, Porto, Munique... Só o Neymar Júnior ainda não se decidiu, se vai de iate, helicóptero ou avião, afinal, ele é proprietário dos três veículos!
Pobre povo brasileiro, pobre e amada patriazinha.

P.S Achei linda a homenagem que os alemães fizeram aos Pataxós, dançando em torno da Taça. Além de tudo o que fizeram por eles enquanto estavam na Bahia, mostraram para o mundo o respeito e o carinho que ficou entre todos. Lindo!


Mil beijos,
Tania Pinheiro. 

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Eles... os alemães... redescobriram nossas origens... amaram a simplicidade... e, principalmente ensinaram aos "nossos embonecados e mauricinhos, de chuteiras da moda, dourada e cabelos oxigenados, que no salto alto levaram o maior tombo"... o que é e como se joga futebol... Realmente, uma raça invejável que se propõe e faz! E, agora José, a festa acabou... limpar a lambança e partir pras urnas!!
Beijocas.

Carla Ceres disse...

Oi, Tania! Tinha gente dizendo que os argentinos também iam levar uma surra da Alemanha. Não levaram, não. Tiveram fibra, lutaram. Pelo nosso empenho, merecemos o quarto lugar. Daqui a três meses, temos as eleições. É hora de ver se o povo, que tanto protestou, aprendeu a levar política a sério. Beijos!