sábado, 15 de fevereiro de 2014

A um passo do abismo


Oi meus queridos,

Pela primeira vez na vida tenho dificuldade de começar um texto. É tudo tão absurdo, tão cruel, tão escuro e apavorante, que mesmo para mim “escapada” da ditadura militar, que vivi na carne a violência insana dos que estavam no poder, mesmo desconhecendo os “Companheiros”, que hoje brincam de ser governo, me sinto tão confusa, tão burramente perplexa, que daria qualquer coisa para ao menos ENTENDER o atual momento.
Não conheci o colega cinegrafista da Band, Santiago Andrade, mas sinto como todos, um profundo vazio, uma enorme indignação, um respeito e gratidão sem limites a ele e a sua família, que mesmo em meio a tanta dor, doou os seus órgãos e ofereceu sua piedade aos marginais, que inconsequentemente tiraram a vida de um grande ser humano, profissional exemplar, colega querido e respeitado por todos, marido e chefe de família amoroso, digno, responsável, pai de cinco filhos, vivendo uma parceria de amor de trinta anos com a mulher que escolheu como sua companheira!
Um cinegrafista sensível, que amava documentar o pôr ou nascer do sol, mas não fugia de cobrir misérias, injustiças, chacinas ou manifestações. É assim que todos os que o conheceram definem sua personalidade e caráter.
Então, eu, que me afastei da “imprensa” já há algum tempo, como observadora comum, me pergunto: Até onde vamos? Existe fundo pra esse poço?
Cada dia mais doenças e mazelas. Crescem o câncer, os infartos e AVC’s, os suicídios e homicídios causados pela depressão, cresce a violência no trânsito, dentro das nossas casas, nas manifestações públicas que repudiam e pedem o fim para tudo isso! Jovens de 17, 18, 20 anos matam friamente pra roubar carros, celulares, tênis, cartões de crédito... Matam grávidas, idosos, outros jovens como eles, e até crianças que choram e clamam pela vida!
Protestar, fazer passeatas, gritar por seus direitos cidadãos é justo, é legal! Mas pessoas de bem, que reclamam e clamam por justiça, não escondem o rosto, não saqueiam lojas, quebram bancos e bens públicos, incendeiam ônibus, picham em monumentos a imundície de suas almas!
Fico me perguntando a quem serve tantas barbáries? Quem sai ganhador e de que, com a generalização da baderna? Políticos? “Profetas”? Estrangeiros gananciosos em busca de petróleo, almas e água? Marcianos? Enviados de satanás?
A quem pode interessar a COPA com suas obras inacabadas, superfaturadas, mal projetadas (já são mais de seis vítimas fatais de conhecimento público). Quem garantirá a segurança dos brasileiros e visitantes quando o EVENTO começar?
Quem controlará absurdos e abusos (uma omelete a 100,00 Reais?), assaltos, estupros... Enfim, poderemos contar com algum super-herói, ou, somente orar fervorosamente pra que Deus nos proteja?
Até a natureza parece estar se rebelando contra as loucuras humanas! Estamos a um passo do abismo...
Tomara, que quem está nas nossas costas não dê um empurrãozinho só para sentir a adrenalina de ver um HUMANO voar e, depois, se estatelar entre os apupos e aplausos da galera desvairada.


Mil beijos,

Tania Pinheiro.

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Tania!
Perdemos o maior valor de todos - A VIDA! O Brasil apresenta-nos uma tela mal pintada! Os mesmos que sofrem toda a sorte de "vandalismo com suas vidas" na ausência de boas escolas, salários dignos, atendimento médico, mobilidade... se prestam a deixar que coloquem cabresto e, manipulados por merrecas financeiras, se prestam à selvagerias de todo tipo. Lamentável! Somente com o uso da inteligência travaremos batalhas muito mais marcantes que esse desmando todo de destruição que assistimos, pois sequer podemos sair junto para demonstrarmos nossa indignação político-social! Marionetes NÃO!
Abraço.

Carla Ceres disse...

Quem lucra, Tania? Os políticos. A culpa é deles que deixam nosso povo sem educação nem assistência. Beijos!