segunda-feira, 31 de março de 2014

Seu cantinho no meu coração nunca será ocupado...


Oi meus queridos,

É com lágrimas correndo pela face, que começo essa postagem. Meu coração dói tanto, que sinto medo que de repente, ele se negue em continuar batendo.

Ontem, faltando pouco para a hora do Ângelus (eram 17:58), minha filha me ligou em pranto profundo, quase sem voz e me disse: mãe, tenho algo muito difícil pra te contar, aconteceu uma coisa muito triste, muito dolorosa, foi com o Leandro, nosso amigo, seu quase filho, meu quase irmão, nosso palhaço galanteador particular... se foi, o Leandro faleceu.

Minha primeira reação, foi não ter reação. Estive com ele algumas horas antes, brincamos, rimos, e como sempre fazíamos, trocamos um abraço apertado e um beijo barulhento!

“Morreu? Como assim?”. A ficha entalou e não conseguia cair. Aí, consegui chorar. Muito!

O Leandro, que eu chamava de Léo por ser muito parecido com o meu filho, foi a primeira pessoa que me recebeu no Icesp. Foi ele quem gerou meu prontuário, e me acompanhou nesses quase três anos em que estou na luta.

Ele foi ao meu aniversário de 59 anos, que comemoramos na Cachaçaria, com samba, cerveja e risadas! Convidei a bancada toda do Icesp, mas só ele compareceu.

Ele veio a minha casa, me trazer rosas, embaixo de muita chuva, quando fiz 60 anos. Bebemos e comemos muito, rodeados de pessoas queridas, e mais uma vez, não faltaram piadas, pilherias, abraços, AMIZADE! Até banho pra se aprontar pra continuar noite adentro na balada ele tomou.

Nunca vi o Le sem um sorriso. Nunca cheguei à bancada sem abraçar e beijar cada um, começando sempre por ele!

Quando estive internada quase a beira da morte, ele trocava seu horário de almoço, por uma visita para mim. Não sei dizer quantas vezes ele segurou as mãos da Tatá e disse: “Força, ela vai sair dessa”! E se minha filha balançasse um pouquinho na fé, ele fechava a cara (dá pra imaginar?) e falava sério: “Mulher, nós estamos falando de Tania Pinheiro”. Não tinha como não animar minha princesa.

Sabe, Leandro, eu acredito piamente em Deus e no que Ele determina na sua misericórdia. Eu acredito que Ele é o único capaz de separar o “joio do trigo”, e você, certamente, está no montinho que vai “virar pão”, para alimentar nossas almas, coração e fé!

Você, que já virou estrelinha, vai servir de incentivo a muitos beijos de amor... Você, que continua “semi-anjo” continuará ajudando a quem precisa, trazendo aos nossos lábios um sorriso de amor e saudade, cada vez que lembrarmos de ti.

Apesar de São-paulino (como o meu filho), refuto a você como defeitos, somente o jeito de moleque metido a garanhão, a capacidade de frases e trocadilhos infames e nunca ter me convidado pra um pagode na laje, fosse de quem fosse!

Tenho certeza que a sua chegada ao outro lado foi cheia de luz, de ternura... Que os querubins, arcanjos, anjos e serafins riram muito das suas palhaçadas.

Nós que ficamos, estamos consumidos pela dor e pela saudade, mas na certeza de que você está em paz, na graça e glória do Pai Maior!

A Tatá e eu estamos muito, muito tristes mesmo, porém, pela nossa fé e por amá-lo tanto, esse sentimento se transforma em esperança e resignação, pois sabemos que não acabou por aqui, ainda vamos nos esbarrar nesse mundão de meu Deus!

Segue em paz, que o Senhor te abençoe, te guarde, proteja e ilumine sempre, meu filho.



O Tô com Aquilo hoje, homenageia o seu Tricolor!!!  

Milhões de beijos.
Amamos você!


Tania Pinheiro.

6 comentários:

Célia Rangel disse...

Tania e Tatá... São momentos nada agradáveis que a vida nos apresenta... Aceitação é a pedida do momento. Façamos nossas orações.
Beijos.
Célia.

Jessica Silva disse...

"Os bons morrem antes"
Uma pena, fiquei muito emocionada com o texto.

Jessica Silva

Carla Ceres disse...

Sinto muito, meninas. Pelas fotos dá pra ver que o Leandro, além de muito bonito, era gente finíssima. Deus que me perdoe, mas custava deixar essa bondade em pessoa mais um pouquinho aqui, pra iluminar o mundo? Imagino a tristeza dos pais. Força pra vocês e pra família!

Carla Ceres disse...

Oi, Tania! Deixei um convite no meu blog, pra você participar do Tag 7. Só participe se estiver a fim, OK? Não é uma obrigação. Beijos!

Unknown disse...

Olá.. Conheço o Leandro a muitos anos, era amigo de meu irmão desde criança, fazia alguns anos que não o via, mas com meu irmão ele sempre teve contato e com certeza ele era muito especial e lamentamos muito aqui em casa a sua morte , não acredito mesmo no que aconteceu...

Tania Pinheiro disse...

Oi meus queridos, agradeço do fundo do coração o carinho e apoio recebidos de cada um de vcs. Graças a Deus, somos pessoas de fé e é nela que nos apoiamos nos momentos de dor. Nela e em amigos como vcs.