sexta-feira, 28 de junho de 2013

Sorri...


Oi meus queridos,

Pessoas que como eu passaram por momentos difíceis em relação à saúde, que quase beijaram a face da morte e, voltaram, pessoas que, recebem de Deus o magnífico presente de uma segunda chance, tornaram-se na maioria das vezes, mais doces, sensíveis, permeáveis, aceitam melhor os erros dos outros, aprendem a perdoar...
Não sei se comigo, foi assim, tenho minhas dúvidas!
Continuo me revoltando e gritando contra as safadezas que assisto no meu dia a dia, continuo não crendo em político NENHUM, continuo achando que se o povo não tomar as rédeas da Nação, e logo, dificilmente novos bisnetos verão uma TERRA BRASIL!
O câncer não me fez ficar meiga, dócil, acessível, razoável ou mais compreensiva com os canalhas, cretinos e sanguessugas do povo! Antes, muito pelo contrário! Mas, curiosamente, despertou em mim a esquisita mania de sonhar.
E aí, volta e meia, me pego com cara de algodão doce, sonhando com tribos indígenas em festa, se confraternizando, utilizando da maneira sábia como fazem desde o princípio dos tempos, suas terras demarcadas e respeitadas pelo branco, seu irmão...
Vejo as ocupações e favelas urbanizadas, com água potável, esgoto tratado, energia legalizada, as ruas e ladeiras calçadas com a boa e velha pedra, que deixa brecha para a chuva escoar, não permitindo assim, enchentes e desabamentos...
Vejo escolas públicas decentes, feitas com material de qualidade, pago a preço justo. Vejo professores bem remunerados, respeitados, bem treinados, felizes em exercer a mais divina das profissões que é ensinar, tendo dos seus alunos não só o carinho, mas a admiração e a gratidão eterna.
Nenhuma profissão existiria se não houvesse o Mestre, o que ensina desde o B-A-Ba! No entanto, recebem salários miseráveis, não tem tempo, nem condições de se reciclar ou crescer intelectualmente...
Às vezes, me vejo sonhando com rios limpos (já pensou o Tietê e o Pinheiros como foram há 40 anos atrás?), campos verdes, legumes e verduras puros, sem adubos químicos ou agrotóxicos!!!
Me pego sonhando com jovens saudáveis, sem vícios, com pais zelosos e diligentes com famílias que se ajudem, se respeitem e tenham Deus como SENHOR!
Um Brasil e um mundo sem drogas, tráficos, guerras, roubos, ilícitos e defraudações...
O câncer (só pode ter sido ele!) me ensinou a ter ódio aos corruptos, não à corrupção, me ensinou a desejar a morte de quem rouba merenda escolar e remédio de idoso, me fez sentir na boca o gosto amargo da revolta, quando assisto a injustiças, descriminações, preconceitos, falta de respeito humano!
Secou os meus olhos para muitas coisas... Secou minha confiança em muitas pessoas... Porém, me obrigou a voltar a escrever (para não morrer de infarto!) e, pela imensa graça de Deus, me proporciona a cada postagem que, gente como vocês, me leiam e compartilhem meus loucos sonhos e sentimentos.
Obrigada!

Mil beijos,

Tania Pinheiro.

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Ah! Tania! Amei a "cara de algodão doce"... divido-a com você... quer pureza e inocência maior que essa diante de tantas mazelas? Em meus caminhos já vi e vivi muita coisa, mas nunca me dei bem com a mentira e o cinismo... Para mim, abomináveis. E, hoje tenho um mar revolto com essas e tantas outras ao meu redor... e tenho que sorrir na esperança de um dia melhor que o outro? Utopia, hein amiga!
Bjs. Célia.

Carla Ceres disse...

Oi, Tania! Também já passei pertinho da morte, mas só me tornei mais tolerante com quem erra sem querer, por incapacidade de acertar. Aqueles que premeditam o mal com alegria continuam merecendo todo o meu desprezo. Resumindo, acho que você está certa. Beijos!