terça-feira, 30 de agosto de 2011

Falando de escolhas...


Engraçado, embora às vezes nos sintamos “prejudicados, enganados, lesados” pela vida, tudo o que vivemos são escolhas!
Ninguém tem um mau casamento por azar. É escolha! Ninguém é medíocre profissionalmente por falta de oportunidade. É escolha! Ninguém é infeliz por ser “marcado”. Tudo é escolha!
Meu câncer foi uma escolha errada que fiz, no meu modo de ser e viver. Por descuido, descaso, falta de amor próprio, excesso de trabalho, falta de exercícios, cigarro, cerveja, angústia, apatia... tantas escolhas equivocadas ao longo destes 58 anos!
Se me arrependo? Não! Tudo o que fiz, foi consciente. Se faria de novo? Não! Não sou burra! Porém, não me arrependo pelo que fiz. Só o que deixei de fazer por medo, comodismo, preguiça, arrogância ou falta da certeza de dar certo, me traz arrependimento.
Não sinto pena de mim. Nem posso! Se eu morrer amanhã de manhã, a vida não me deve nada!
Comi do bom e do melhor, bebi tudo o que queria, amei homens incríveis (alguns até retribuíram!) viajei, escrevi, plantei arvores, gerei, pari e criei filhos INCRÍVEIS, que me dão a certeza de que não passei por aqui sem deixar boa marca!
Não sou feliz, sou contente. Meu contentamento tem nome, endereço e CPF. Meu contentamento resume-se num ser que apesar de todos os pesares, sabe rir da vida, da morte, do azar e da sorte e não permite que morra o sonho de dias melhores.
Meu contentamento, parafraseando Orlando Morais “é sorte na vida, filhos feitos de amor”!
Meu contentamento, até chegar ao destino final, para falar com São Pedro e prestar contas, resume-se em ser quem sou: Tania Pinheiro!
Marca que criei, carrego e defendo com toda a minha dignidade.
E isso foi questão de escolha!
É isso.
Até amanhã.
Beijos,
Tania Pinheiro.

3 comentários:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Um texto lindo de arrepiar, daqueles que entra diretamente na alma! Adorei e entendo o espírito! Bjs

Célia disse...

Olá, Tania! Eu "escolhi" ler você sempre! Energiza-me! Também fiz e faço minhas escolhas. Não me arrependo de nada. Fiz porque quis. Isso é muito bom. Não somos escravas de nossas escolhas. Apenas, cumplices ou parceiras! Abraço, Célia.

Jana Soggia disse...

Não a conheço, mas uma amiga indicou seu blog (Ludmila Salomão).
Li suas palavras "reais e cruas" e me emocionei. Você escreve com a alma! Adoro isso!
Muita luz para você!
Um beijo,
Jana
http://labelledujourjanasoggia.blogspot.com (esse é meu blog, falo sobre moda, beleza, maquiagem, reflexões e bem-estar).
Dê um pulo lá, se curtir, siga-me! *.*