quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Relembrando, me desculpando e agradecendo...



Desde que me conheço por gente, sempre trabalhei.
Na verdade, uma das grandes angústias que o câncer me trouxe, foi o medo de não poder trabalhar.
Tremo só em pensar que ao chegar o fim do mês, não poderei honrar meus compromissos. Não consigo viver na dependência de ninguém, acho vergonhoso não ganhar meu próprio pão!
Em muitos momentos da minha vida, me vi obrigada a trabalhar com outras coisas que não as palavras!
Já fui vendedora de plano de saúde, de livros, de roupa, já tive restaurante, uma barraca de pastas e patês, já fui aeromoça, cantei na noite, já vendi salgadinho em porta de hospital...
A vida, em algumas situações me obrigou a batalhar duro (pesado mesmo), para manter meus filhos.
Não me arrependo de nada do que fiz. Sempre trabalhei honestamente e ensinei meus filhos o valor do trabalho e da dignidade.
Me separei do pai dos meus filhos quando Tainá tinha 6 e Leonardo 14 anos.
Passei momentos que só de lembrar, aperta fundo o coração.
Com a ajuda de vários amigos, da família, a confiança dos meus filhos a força do meu pai (que saudade, meu velho!) consegui vencer muitos obstáculos.
Não deixei de fazer trabalho voluntário, nem buscar ajudar “o outro” a alcançar seus sonhos.
Tive a felicidade de trabalhar na Comunidade Solidária, projeto de luz da iluminada dona Ruth Cardoso, fiz parte da equipe que iniciou o Fome Zero no Ceará, fui membro da Caravana da Cidadania do Sindicato dos Bancários do Ceará... nossa! Quantos trabalhos lindos e gratificantes!
Em muitas situações, por força da necessidade, ficava dias viajando, e meus filhos eram cuidados por meu pai Jackson, Felipe (irmão) e Patrícia, minha cunhada. Para ganhar “o pão nosso de cada dia” perdi de compartilhar momentos importantes dos meninos.
Peço perdão a eles por isso. Nem sempre podemos viver do jeito que sonhamos. Espero de coração que meu Léo, do qual me orgulho (VOCÊ É MUITO IMPORTANTE PRA MIM!) e minha Tatá, relevem e entendam. EU AMO VOCÊS!
Também amo e agradeço a cada pessoa que ao longo da vida, me amparou e deu força na luta e na caminhada.
Como o texto ficou grande demais, vou deixar os OBRIGADA para amanhã. A lista é grande!

4 comentários:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

O seu texto arrepiou-me pela realidade que transmite! Com efeito, não há nada mais desolador que deixar de conseguir trabalhar, mas tudo correrá pelo melhor e nunca precisará de deixar de o fazer! Bjs

Célia disse...

Tânia... exemplo de MULHER... assim mesmo com letras maiúsculas!! Não se deixou abater por nenhum obstáculo que a vida lhe apresentou! Beijo, Célia.

Carla Ceres disse...

Tânia, você é uma pessoa admirável, uma guerreira que vai vencer essa batalha como venceu muitas outras. Parabéns pelo blog!

Anônimo disse...

Ó mulher guerreira, tu é exemplo de luta e vitória. Falo isso sem querer babar.
Tu és exemplo de vida, tua prórpia história conta isso.
Um abraço e nordestinamente falando... inté mais vê.
Do seu amdigo KAKÁ de Carnaubais!
Ta lindo o Blog!