domingo, 25 de setembro de 2011

Tentando entender... Parte1


Oi meus queridos,

Como vocês sabem sou jornalista por profissão e fé, lá se vão 40 anos. Pelo menos metade deste tempo, convivi com política e políticos.
É triste dizer, mas nos últimos 20 anos, aumentou muito a corrupção, os desmandos, a incompetência e descompromisso da grande maioria dos “nossos representantes eleitos”! Nunca se ouviu ou viu tanto escândalo, tanta falcatrua, tantos roubos e desvios, tantas denúncias escabrosas! A impressão que se tem, é que nossos dirigentes assumiram a falta de vergonha e caráter, como marca registrada do cargo público.
Com isso a qualidade de vida do povo brasileiro, piora dia a dia.
Sou do tempo em que bons alunos estudavam em escola pública. Lembro com saudade do exame de admissão que selecionava os que realmente tinham competência para o Caetano e Campos, Liceu de Arte e Ofício, Escola Normal, Alberto Conte e tantos outros do mesmo quilate. Me formei em escola pública e cursei faculdade idem.
Estudei latim, canto orfeônico, desenho, religião, francês, com professores capazes dedicados, preparados e bem pagos pelo ofício.
Nunca ouvi falar na minha infância ou juventude, de agressão nas escolas ou falta de respeito aos mestres.
Bons tempos aqueles!
Hoje, faculdade pública é privilégio de egressos de colégios caríssimos, pré vestibulares megalômanos, reforços escolares e outras benesses que só quem pode pagar desfruta.
Centenas de “Facurdades” caríssimas e fajutas preparam (?) profissionais de competência duvidosa, para um mercado cada vez mais abarrotado de doutores (?) com “pobremas”!
E dá-lhe escândalo no ENEM, nos vestibulares, nas falsas formaturas!
Estarrecidos, assistimos a degradação dos dirigentes e a espoliação do povo...
Sem educação, aumenta o sub-emprego, o desemprego, a marginalidade, a miséria e a desesperança...
E nós, em nossa angústia patriótica, pedimos a Deus que nos proteja.
Acho que deveríamos pedir que Ele, nos ensinasse a votar!
Amanhã, vou falar de saúde. Acredito que tenho cacife e condições para tanto.
__________________________________________________

Para Quelzinha, Cezar, Zanoa, Maria Parceira, Prof° Sérgio, Diá, Moura, Kavernak, Márcia e Francisca.



Quando o coração aperta de saudade,
 E o peito fica frio e encolhidinho,

Fecha os olhos e lembra com carinho,
Já conhecemos a felicidade!

Quando em seus sonhos ressurgir a imagem
Dos bons momentos que passamos juntos
Saiba que eu, também relembro a amizade
Que nos uniu, nos fez mais que parceiros.

E sou feliz por ter-te como amigo,
E agradecida pelo seu carinho,
E eternamente levarei comigo,
O teu sorriso no peito guardadinho!

Até amanhã,
Mil beijos,
Tania Pinheiro.  

2 comentários:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Excelente reflexão, como sempre! Adoro a forma como escreve! Estive um pouco ausente, em mudança de casa, mas voltarei em breve! Bjs

Célia disse...

Olá, Tania! temos o mesmo DNA de criação e de estudos em escolas públicas! Resolvíamos em nossas casas com pais e mães responsáveis e parceiros com a educação e a nossa formação. Professor e Escola eram sagrados! Repreensão, disciplina e castigo... nunca deixaram marcas psicológicas; ao contrário ensinaram-nos a viver! Hoje... uma loucura! Prostituiram os valores. Trocaram as posições dos responsáveis e irresponsáveis. Balbúrdia geral! E, nós hoje, rezamos mesmo pedindo proteção!! Penso que Deus anda também escandalizado com a inversão de todos os valores! Parabéns pelo tema abordado! [ ] Célia.