segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Me apropriando do que realmente me pertence...


Oi meus queridos,

Não foi por nenhum motivo ruim que não escrevi nos últimos dois dias. Na verdade, fui ver minha prima Lalá em Atibaia ontem, cheguei tarde e cansada. A Tainá trabalhou o dia todo, incluindo a sexta-feira, e eu fiquei com peninha de fazê-la ir para o computador em plena madrugada!
Porém, hoje, lá estamos nós, de novo compartilhando com vocês nossos momentos.
Hoje, aconteceu uma coisa engraçada: queria escrever como fazia antigamente, sentar num barzinho, acender um cigarro, pedir uma gelada, pegar papel e lápis e “mandar ver”.
Tive um fim de semana magnífico, revi parentes queridos, matei a saudade da Rosa, fiz comida gostosa, não senti gosto de joelho na boca... foi tudo perfeito. Faltava escrever “lá embaixo”!
Me arrumei, peguei o papel, o celular, desci, procurei meu barzinho favorito, e... não fiquei. Subi. Vim escrever em casa. Sem cigarro, sem cerveja, sem buchicho. Parei para pensar e vi que já havia me divertido bastante, tomado as “geladinhas” permitidas, aproveitado tudo o que queria para um só final de semana!
O tratamento tem sido muito penoso, tem momentos que dá até vontade de desistir. Mas, Deus meu apoio maior, me dá tanta força e energia, que juro, me sinto determinada a não deixar que nada me tire do rumo da cura, se essa for a vontade DELE.
Então, saber o que, quanto e até onde posso, é muito importante para que o tratamento dê certo.
Eu não devo e nem posso fumar e beber como antes. Não posso me aborrecer, me angustiar, trabalhar sem descanso, ficar sem me alimentar na hora e da maneira certa... Não posso agir como antes. Hoje, aos quase 59 anos, estou tratando um câncer e quero me curar!
Acredito que ainda tenho coisas a realizar na vida. E se depender da minha determinação, vou fazer cada uma!
O fato de tomar em minhas mãos o meu destino, de me apropriar daquilo que realmente me pertence é um desafio que pretendo encarar a sério.
Não sou burra. Gosto da vida, gosto de viver!
Hoje, apesar de tudo, sei que não preciso abrir mão de nada para ser feliz. Porém, preciso controlar minha vida. Em todos os sentidos. Sei que para quem nunca deu muita atenção a limites, não vai ser muito fácil. Mas, eu não sou fraca não, meu nego!?! Vai dar certo. Com a graça de Deus e a força da minha fé!
___________________________________________________

Para Iraci Azevedo


Amiga certa de todas as horas, meu carinho, saudade e algo além de palavras: O espelho da sua linda alma, com todo o peso da tua amizade sincera. Te amo Rará, você é 10, minha irmã!

Mil Beijos,
Tania Pinheiro.

3 comentários:

Carla Ceres disse...

Oi, Tânia! Bom te ver animada assim! Esses dias lembrei de você quando estava vendo TV. Passou uma reportagem sobre compras na Rua 25 de Março. Era gente que não acabava mais, ocupando a rua inteira. Fiquei pensando se você estaria ali, no meio da multidão, comprando enfeites de Natal. Agora acho que não. Você estava com sua família, se divertindo. Bem melhor! :) Beijos!

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Que bom que passou estes dias bem! Fico muito feliz! Continue sempre com essa sua força e humor inigualáveis! Bjs

Célia disse...

MARAVILHA!! Você reconhecer-se dona de sua vida e dela tomar conta, pois sabe da alegria que é viver! Ainda mais se bem acompanhada por pessoas que nos amam! Fico feliz por você! Beijo da Célia.